minhas frases

AO NAVEGAR NO BLOG e quiser retornar ao início, clique no menu: "início"



Alguns artigos publicados foram pré-agendados (datas de publicação programadas) usando o aplicativo disponível no próprio Blogger, então, posso não estar online no instante da postagem.


Agradeço a sua visita. Se inscreva para eu te conhecer... bjuss...Mii

VISITANTES APÓS MARÇO- 2011

ASSISTA ALGUNS VÍDEOS QUE ESCOLHI.

Loading...

quinta-feira

Poesia de Negra Noite - CUIDADO, CORAÇÃO!

Não se apavore, coração
Quando te aproximam ventos fortes
tempestades de verão
Que te tiram os pés do chão...

Não te entregues
ao delírio suave de uma canção
e nem ao braço forte
de um apaixonado peão

Te tranques todas as portas
que em teu coração
teimas em abrir
feche também os porões

Qualquer deslize
lágrimas duras e frenéticas
cairão...

E tu,
ah... tu...
Terás perdido toda a direção!

(Negra Noite- 20/12/2012)
steal heart



quarta-feira

Especial recomendação - LOVE YOU FOREVER - Ryan Huston (Eu te amarei para sempre) HD


Não há melhores palavras do que a música e as imagens nos revelam, acrescidas destas frases de JJ (Criador João ou simplesmente 01criador)


Complete: Destino...
                  "Próximo a se cumprir" (J J )

O Melhor caminho...
                "Eterno é aquele que não saiba medir...'  (J J )

Uma mensagem:
                "Não sou Cristo para deixar mensagens" (J J)

Complete: Nunca...
               "Vou ser melhor que ninguém" (J J )

Complete: Pode ser que...
               "Vá para Santo André o ano que vem" (J J)

Uma frase sobre sonhos e pesadelos
               "Destinos esquecidos" (J J)

Anotem esse blog: ESTRANGEIRO JOÃO





terça-feira

Texto e frase de Milena Medeiros - O SÁBIO E O PASSARINHO / NÃO MATE-ME



Mensagem:
Uma vez um sábio perguntou a um passarinho que fazia o ninho à beira de um portão: -"Por que fazes teu ninho nesse portão? Não vês que estás ameaçado??". 
A resposta veio logo.Uma criança via a revoada daquele lindo pássaro e pôs-se a espiar, feliz...
O sábio entendeu  que sua sabedoria é muito pequena diante das coisas naturais!
(Milena Medeiros- especial a J J - 10/12/2012)















Frase:
Por-me afastada de ti, por motivos que nos fazem sofrer juntos, é matar-me...
Se desejas matar-me... não precisas de mim como amiga!
(Milena Medeiros - especial a J J -10/12/2012 (reeditada para este blog)




domingo

Poesia de Milena Medeiros dedicada ao amigo JJ- QUERO A CRIANÇA QUE EXISTE EM MIM


QUERO A CRIANÇA QUE EXISTE EM MIM!


Quero ser como uma criança
dar lambidas num doce
imaginar que ele nunca acabe.

Quero ser criança agora
Não sentir a dor em meu jeito
Não ter medo do outro dia

Quero ser criança sempre
Me lembrar dos pulos para os céus
Achar-me alto perto do papai

Quero viver a criança em mim
mesmo que o tempo ignore isso
mesmo que eu não viva isso!

(Milena Medeiros- 09/12/2012- 01:35horas)
poesia inspirada nesta magem especial recebida do amigo JJ (um gatinho chupando pirulito prazeirozamente)

sexta-feira

UM PORTO À ESPERA DE NAVIOS

Adorei saber que está me fazendo mais companhia... 
parece-me que está se soltando das amarras no cais...
Querendo navegar outros portos...

                    ...que eu seja o seu porto 

                                      e você meu navio...



quarta-feira

Texto de humor de Negra Noite- SOU UMA DELÍCIA




À pedido de uma amigo que queria 

saber como sou, lhe passei o 

seguinte:

"Uma delícia... Gostosa ... Não dá 

para se largar... Dá vontade de 

comer...

Calma....

Estou falando da manteiga lá de 

casa! (risos)
Milena Medeiros

Publicado no Recanto das Letras

Frase Sobre o Amor - Davideusei

"O Amor não faz coisas impossíveis
O impossível é ficar, sem amor."

(Davideusei- trecho do texto com nome: Fiz Uma Canção Pra Te Esquecer)

leia na íntegra o texto, no site Recanto das Letras- Davideusei

Texto de Negra Noite - AOS MEUS CIÚMES

Todo dia te olho como se fosse a primeira vez.Te apanho no meu quintal de pensamentos e te planto, ali, perto do meu coração.
Te adubo com veemência, não salutar, te prendendo entre as mãos, querendo só a ti abraçar.
Ah, ciúmes, deixa-me livre, não quero te plantar. E mesmo assim, como se fosse meu trabalho nessa lavoura, me escravizas a te colher, sofregadamente.
Canso-me, tento desistir, e o fim do plantio chega, recolho-me aos meus aposentos.
No novo dia, com a peneira na mão, saio à lavoura, levo sementes e de novo te planto.
Ah, ciúmes, quisera saber plantar mais amores perfeitos e só então poderia te deixar no chão, sem te plantar.

Negra Noite- 05/12/2012- 06:19 horas
ciúmes são pontas de dor
publicado no Recanto das Letras

domingo

Futbol - música por John Sokoloff


 John Sokoloff, músico e compositor. Eu o conheço somente virtualmente, mas o tenho com muito apreço. Ele enviou-me esse vídeo e o qual veiculo com muito carinho. 
Espero que os leitores e amigos deste blog possam admirar o trabalho desse artista. Junto com o vídeo a música parece ser uma coisa una. Os movimentos dos jogadores em rítmo com o movimento sonoro da melodia...

Não perguntei a ele, mas será que ele fez a música olhando essas imagens? Casam-se tão bem!!

Poesia de Negra Noite -Quando você não disse nada


QUANDO VOCÊ NÃO DISSE NADA!

Quando eu te vi a primeira vez
não te notei, homem e menino

quando eu te vi, no começo,
Não acreditei no Homem mas no menino

quando eu te vi na segunda vez
eu conheci o homem e senti o menino

quando eu te vi na segunda vez
eu amei o homem e abracei o menino

quando eu te vi pela última vez
a tua ausência calou-me

quando eu te notei pela última vez
A saudade foi maior e desisti de sofrer mais ainda...

(Negra Noite-25/11/2012-21:10h)
Quando a ausência é maior que a presença tudo se acaba....



Texto sobre saudade e solidão- blog de Chaiene Nascimento

Li este texto e gostei. Por isso RECOMENDO:

"Me atraquei aqui. Perto e longe demais de onde se encontra o meu amor e a mim. Não quero nada, não mais. Novos gostos escorrem pela minha língua, mas as vezes sinto saudade do samba a dois que dancei só. Mas saudade não é motivo pra nada. Não é desistência, é só um desvincilhar, uma olhadela para coisas que deixei de olhar. É só sabores de sorvetes diferentes. É só um distanciamento por precaução. Não aguento mais o tranco, por simplesmente não ter mais pelo quê lutar, a não ser por mim. É essa à quem me preocupo observar e cuidar agora. Não disseram para a pensar mais em mim? Então, estou fazendo-o. Ninguém pode me culpar por conseguir olhar para o que ainda tenho. Me atraquei aqui. Nessa sala, com esses livros e goles de vinho, toda dor é vã diante do som que a minha alma produz. Apanhei muito e só. Meus olhos atentos, minha pele sensível a permissão do universo. Deixo as coisas rolarem, nesse cais o vento irá dizer o que virá.

Leia mais no Blog de Chaiene Nascimento  - blog: Reencetar

deixo-me nesse porto...

Texto sobre Mentiras e suas versões- Blog de Chaiene Nascimento

Li este texto e gostei, compartilho com os amigos leitores:


"de fora então sentei, escutei todas as verdades que foram ditas, tudo em cada lugar, até as mentiras. Todas as versões foram ouvidas e decidi, não me envolver mais. Se o culpado de tudo isso foi encontrado, fico de fora. Não vou mexer onde só me resultou em pesos que nem consigo carregar. Me desloco da situação. Se as mentiras vão continuar, se vai haver reviravolta, e mais uma roda de dor gratuita, fico de fora. Que continuem agindo como se soubessem de tudo, e mentido uns pros outros, e até pra mim. Que continuem, mas eu me distancio, porque pela primeira vez estou de fora por pensar em mim. (sábado, novembro 03, 2012-PC)"

Texto publicado no Blog de Chaiene Nascimento (Blog - Reencetar)
As tuas verdades são mais mentiras ainda...




segunda-feira

Poesia de Milena Medeiros - NÃO SEI SE TE ENTENDO, ASSIM



NÃO SEI TE ENTENDER, ASSIM

Não saber
se entre você e eu
existe mais alguém, por quem divides o mesmo amor...

Não entender
em tuas meias palavras
as verdades inteiras que tentas me dizer...

Não querer
compartilhar somente pequenos momentos
e deixar escapar entre os dedos - grandes momentos!

Não sei te ter
pela metade
só por inteiro, sem subterfúgios, sem medos...

Não desejo
teus desejos divididos com outras pessoas
quero-os todos só para mim, por toda a minha vida...

Não quero assim
Deixando a mim
o dom de te entender...

Quero-o com um amor
diferente de todos os amores que conheci
E quero-o com todos os teus defeitos, menos um:

- o defeito de não falar-me todo dia, abertamente, o que te vai na alma!

(Milena Medeiros- 18/11/2012 - 23:34 h)

Recomendo este vídeo - Gary Jules - Mad World HD 3D (legenda PT)

Ative Close Captions, no vídeo para ler a tradução da música

Recomendo esse vídeo - The Korgis - Everybody's Got To Learn Sometime HD (legenda PT)

LEGENDA PT - ATIVAR CLOSED CAPTION (CC)
Ative, no vídeo, as legendas, e obterá a tradução.

sexta-feira

Poesia de Negra Noite- TUAS MENSAGENS




TUAS MENSAGENS

Não me farto mais com tuas mensagens
Sinto a ausência tua nelas
Nada mais me dizes de concreto
só de alma e desejos
e isso só não me basta!

Quero-te todo
dia a dia
em mim
Quero ler-te no silêncio
de uma noite mal dormida
preenchida de prazeres de nós dois!

(Negra Noite - 15/11/2012- 21:29h online- sem edição)

Publicado por Milena Medeiros  em 15/11/2012
site: Recanto das Letras
Código do texto: T3988084
Classificação de conteúdo: seguro




Reblogando: Streapalavras- texto de Anais Nin sobre Escolhas

"Eu escolho um homem 
 que não duvide de minha coragem 
 que não me acredite inocente 
 que tenha a coragem 
 de me tratar como uma mulher."

(Texto referido à Anais Nin, porStripalavras)

Texto de Anais Nin

Poesia Sensual de Negra Noite - NA NOSSA NOITE

Envolta em teus abraços
adormeço
exausta
sem pesadelos

Ainda é cedo para o sonho
a Realidade ainda quer navegar

(Negra Noite-09/11/2012-online)
sabores mágicos

Poesia Sensual de Negra Noite- FAZ ASSIM COMIGO


FAZ ASSIM COMIGO

Entrelaça-me
em tuas pernas
com vigor
e toma-me
presa fácil
rasgando minha pele
em dentes, garras e línguas.


(Negra Noite- 09/11/2012- 02:46h)
Escrita online e publicada no Recanto das Letras
Faz assim comigo, faz?

Poesia de amor de Negra Noite- LUA NOVA


LUA NOVA

Anoiteceu em nós
Soubemos que a lua nasceria
e nós
nos transformaríamos...

E isso veio
numa noite calma
de céu claro
mas o luar
este não apareceu.

Quem sabe se escondeu
ou foi namorar em outro lugar
deixando-nos amantes
presos um ao outro
na noite sem lua...

(Negra Noite-09/11/2012- 02:33 horas
Online no site Recanto das Letras

amores de lua

quinta-feira

Reblogando uma imagem-Decoração com chapéus-SITE PIMENTA DO CÉU

não ficou legal?

Imagem do dia -Versos de Pedro A. Miller- sobre lembranças


Imagem do dia- VERSOS DE ALICE RUIZ


Poesia sensual de Negra Noite-TE SONHO

te sonho
T E    S O N H O

TE SONHO
EM MINHA VIDA
EM MEU QUARTO
OU NO TEU
AMBOS DESPIDOS
NUS
DE SENTIMENTOS 
QUE NÃO VALHAM A PENA
DE HISTÓRIAS QUE NÃO SOMAM NADA
COBERTOS
DE DESEJOS
DE NOSSOS DESEJOS
INQUIETOS
IRREQUIETOS.

TE SONHO
NA FOME DE NÓS
NA FOME NÃO SACIADA NO TEMPO

TE SONHO 
ACORDADA
DORMINDO
SONHANDO
E EM CADA UM DELES
TE QUERO
TE DESEJO
MAIS AINDA...

(Negra Noite - 08/11/2012- 22:29h)
te sonho


Poesia de Milena Medeiros- AINDA SOU QUEM TU DESEJAS?

Hoje, entre lírios e jasmins
perguntei a mim
Ainda sou quem tu desejas?
E não sei de respostas
até minha alma se aquietou
Longe estás
e perto nada te sei.
(Milena Medeiros-07/11/2012-01:56h)
num voo de pensamento


Reblogando um post de André Ruiz - FOI

AMIGOS DO POETA: FOI: FOI , a photo by amigos do poeta on Flickr. FOI Foi em uma ventania de primavera em um quase novembro que te encontrei. E todo aquele inver...

domingo

Texto de Milena Medeiros- CARÊNCIA

Ando tão assim... carência em mim. Procuro colher flores em meu jardim do amor e vejo-me sem canteiros, sem rosas, sem flores...

Hoje saí a procura de ti, meu sol, que dá luz a este jardim. Só vi as nuvens e uma garoa fina, típica desse meu São Paulo forte e jovem...

Te queria aqui, me dando um abraço apertado, seu sussurro em meus ouvidos, palavras ternas, carinho gostoso, chamego do bom...

Mas... tu nem sabes disso... dessa carência que sinto com sua distância... talvez nunca o saiba... talvez hoje saiba...

Te queria bem perto de mim... talvez essa dor, essas lágrimas de agora não seriam assim...

(04/11/2012- 01:24h)
Guardei tua rosa...e um beijo...

Tradução- LOVE ME, PLEASE, LOVE ME- Michel Polnareff

sábado

Poesia sensual de Negra Noite- TUA BOCA ASSANHADA


ah... essa sua boca gostosa!


TUA BOCA ASSANHADA

Ah!
Quantas gostosuras há
nessa boca úmida de se beijar!

Que tem fomes
e as mata
matando-me de tanto gozar!

Que arrepias-me a pele
em ondas de eriçar pelos
quando me tocas de leve, a saborear-me!

Senti-la em mim
É ter o paraíso e o inferno juntos
É sofrer de amor com prazer!

Tua boca assanhada
vem toda marcada
de batons vermelhos

E leva ainda mais
o gosto de sal
do meu corpo suado de se amar!

                                   (Negra Noite-03/11/2012-00:55 h)

Publicada por Milena Medeiros no site Recanto das Letras
Código do texto: T3966291 
Classificação de conteúdo: moderado

quinta-feira

Assisti e recomendo- tradução- canal de Prestone- I WONT GIVE UP (Jason Mraz)

Assisti este vídeo e recomendo- MAIS UM NA MULTIDÃO- Erasmo Carlos

Eu diria assim à você, se você deixasse eu dizê-lo bem baixinho, em seu ouvido...

Mais Um Na Multidão
Erasmo Carlos

Guarde segredo que te quero
E conte só os seus pra mim
Faça de mim o seu brinquedo
Você é meu enredo, vem pra cá
Te quero, te espero
Não vai passar
O amor não falta estar

Você pensa em mim, eu penso em você
Eu tento dormir, você tenta esquecer
Longe do seu ninho, meu andar caminho
Deixo onde passo os meus pés no chão
Sou mais um na multidão

O mar de sol no leito do lar
Que nem um rio pode apagar
O amor é fogo e ferve queimando
Estou ferido agora e sigo te amando
Você pode acreditar

A mesma carta, o mesmo verbo
Em sonho só viver pra ti
Quem tem a chave do mistério
Não teme tanto o medo de amar
Me cego
Te enxergo
Não vai passar
O amor não tarda, está

Te quero, te espero
Não vai passar
O amor não falta estar

Você pensa em mim, eu penso em você
Eu tento dormir, você tenta esquecer
Longe do seu ninho, meu andar caminho
Deixo o óbvio faço os meus pés no chão
Sou mais um na multidão

Conto de Negra Noite-O CRIME DA RUA 100





O CRIME DA RUA 100


Ela estava a banhar-se. Mansamente, despreocupadamente...

Em detalhes eu via os movimentos que ela fazia ao contornar os labirintos de suas orelhas. O vai e vem de seus dedos longos, e suas unhas pintadas à francesinha, 

nos caminhos sinuosos de suas orelhas.

Eram vistos também por um jovem rapaz, sentado logo atrás dela.
Ele não me notara a fitá-lo. Estava em transe... Quiças pensamentos o invadiam naquele instante?!?!

Eu continuei a observá-la enquanto retirava a maquilagem dos olhos grandes, curiosos, atentos e que, neste momento, estavam quietos, mansos, dormentes.

Cada movimento era tranquilo. Como se nada a perturbasse ou que nós que ali a observávamos nem existíamos... Ou era um estratagema dela?

Quais seus reais propósitos?!?

A tarde se encobria de raios dourados pálidos. O cair da noite se via aquém dos morros e telhados. As sombras se alongavam em direção às portas das residências.

Logo anoiteceria...

O horário entre o entardecer e o anoitecer é muito criativo a inúmeras relações de mistérios...

Um desses mistérios relato agora...

Aquela cortina nunca fora aberta antes. Quem conhecia a casa da esquina da rua 100 por certo não saberia dizer quem ali morava.

A casa continha mistérios desde seu portão em formato de coração atravessado por três flechas.

O jardim, sempre em perfeito estado, mereceria o postal da cidade.

Ali brotavam madrigais, calêndulas, majestosos roseirais multicores, gardênias, jasmins, querubins, dálias, damas-da-noite, antúrios, coroas de cristo, margaridas 

silvestres...a outras tantas raridades belezas em cor e formato. Tudo bem disposto, a convidar para adentrar...

Nunca soubera-se de jardineiro ou quem cuidasse com tal zelo aquele arredor à casa.

As janelas sempre encobertas por cortinas em voal, transpareciam que alguém ali vivia e dali observava o mundo...

Os habitantes do bairro pareciam desconhecer o (s) morador(es) daquele lugar ou pareciam-lhes indiferentes.

As portas - duas delas - eram voltadas para o horizonte. Tinham madeiras envernizadas e notavam-se arabescos entalhados, denotando cuidado e esmero - uma 

preciosidade da arte manual de algum marceneiro detalhista, talvez!

Haviam dois pequenos lagos. Cada um tinha um linda estátua grega por onde vertia a água, evitando-se a estagnação. Viam-se em relance, peixes em nados calmos. 

Talvez carpas...

Uma frondosa árvore serpenteava uma das vidraças, como a proteger de olhares mais curiosos o interior, semi velado pela cortina leve, esvoaçante as vezes, do 

vitro aberto por vida.

Não se viam empregados, crianças, cães, outros animais que não os próprios libertos naturais que ali trafegavam como em cumplicidade muda.

Também não se sabe se haviam crianças, velhos ou empresários. Não se notavam movimentos de veículos da garagem na lateral esquerda.

A casa existia, simplesmente.

E como tal, as pessoas que ali passavam ora paravam e se deleitavam com suas belezuras, ora intrigadas continuavam o caminho, sempre dando uma última 

olhadela... O que pensariam estas últimas?

As crianças que íam à escola e sempre passaram à frente nunca cismaram em penetrá-la, como artes e peraltices da infância. Entre elas existia um pacto de terror. 

Alguém dissera-lhes que ali fora cometido um bárbaro crime, em meados de um ano qualquer e existiam fantasmas que perseguiriam pela vida toda qualquer alma 

viva que penetrasse em seus recintos. E isso era um pacto feito em silêncio!

Eu, mudara-me há poucas semanas. Sempre meu olhar recaia sobre aquela casa. Minha janela tinha toda a vista voltada a ela. Dali, sem precisar me expor demais 

poderia notar tudo o que ocorresse aos arredores e dentro dela.
Via o balcão do terraço lateral, por onde as vezes um gato molenga se dependura uma das patas e adormecia ao sol das manhãs.

Também notaria algum movimento e outras particularidades se ocorressem no momento em que eu estava ali, àquela janela, não bisbilhotando a vida alheia, mas sim, 

observando uma residência bela, quieta, que me aturdia os pensamentos.

Vasculhara por histórias reais com os jornaleiros, os frequentadores dos bares e padaria ao redor... e deles nada vinham, a não ser que era um perfeito mistério 

qualquer coisa em alusão à seus moradores.

Até para as donas de casa que varriam suas calçadas, costumeiramente, havia perguntando.
Sempre me olhavam como "suspeito de algo" ... algumas até "fugiam" para dentro de suas casas deixando-me estancado ali, sem nada entender...

Intrigava-me a ausência de qualquer notícia. De qualquer informe...

Nos dias em que folgava já era-me predestinado a pesquisar sobre tudo o que pudesse ter ocorrido. Ìa à bibliotecas, lia os jornais e manchetes bem antigos...
Também me propusera a ir à Prefeitura para saber do ano de construção. Quem sabe se a partir de então alguma lógica eu poderia seguir. Porque tudo até o 

presente momento eram lacunas, lacunas e lacunas. Meias histórias e nada mais de concreto ...

Nos dias que se seguiram minhas idéias corriam soltas junto à imaginação.

Sonhara ser um Sherlok quando adolescente... mas esse mistério estava além de minhas faculdades normais de aprendiz de feiticeiro (li muitas obras de 

obscurantismo, bruxarias, contos fantasmagóricos, crimes hediondos, o Fã Clube- este me deixou extremamente perturbado- como uns caras "normais" reunidos 

dias após dias em uma casa com uma mulher pelo qual cortejavam como fãs poderiam cometer aquela barbaridade usando um cabide??).

Restava-me ainda ir a um distrito policial...

E dias pela frente fiquei pensando em quais perguntas iriam fazer aos policiais. Se devia fazê-las mesmo... Vai que eu fosse taxado como "suspeito" de alguma 

história de violência daquela moradia???
Aí, de simples observador iria passar a um presidiário ou condenado por algo que não cometi!- E isso dava-me medo, receio, sei lá...Sabe-se de tantas histórias que 

um inocente paga pelo criminoso...

Comprara até um caderno de espiral, com umas duzentas folhas só para anotar quaisquer coisas vindas ou oriundas de minhas indagações, pensamentos, decisões 

etc a respeito dela (da casa). Na capa colei uma etiqueta com os seguintes dizeres: "A CASA DA RUA 100 - crime ou castigo?"

Por vezes passara a noite em claro (embora com luz apagada) espiando de minha janela aquela residência.

A lua cheia dava-lhe aspecto grotesco às vezes, e, outras tantas, um jeito romântico. E isso, algumas vezes, fazia-me percorrer outro ponto. Poderia ter havido uma 

história de romance? Desses bem fortes...Talvez um suicídio a dois, como na história de Romeu e Julieta?.. Talvez um só tivesse morrido ou matado o outro, por 

amor, somente? Talvez esse que sobreviveu estivesse ali, por detrás de suas cortinas e portas me vendo, me observando!!!...

Um arrepio subiu-me a espinha...Ai... isso me deu medo! Ser observado por alguém um tanto desvairado...

Pensando nisso, fechei a janela, deitei-me, cobri-me bem... lembrando dos temores de criança onde um cobertor era a nossa salvação dos medos de escuro e de 

fantasmas ou de trovão, quando cobríamos a cabeça, o corpo, os pés... tudinho... suados até... e adormecíamos assim para acordar num novo dia, com vontade de 

tomar um bom café... sem recordar do episódio noturno...

Confesso que também suei, mas logo adormeci...

Acordei com o rádio a tocar...

Levantei-me e abri a janela, com um certo receio, direi...

E aquela hora da manhã avistei muitos carros de polícia em frente aquela casa. Pessoas entravam e saíam de lá de dentro. Pisavam sua grama úmida pelo orvalho da 

madrugada...

Senti uma espécie de tristeza... como se aquele jardim eram imaculado para mim. Não se deviam entrar e nunca pisotear suas flores, seus gramados... "Estruparem" 

seu interior...

Fiquei atônito com toda essa informação... Não conseguia me mexer. Paralisado e de boca aberta assistia a tudo... e nada entendia.

Nada escutei durante o curto tempo em que adormeci... e no entanto algo tinha ocorrido ou ... estaria ocorrendo!!!

Vesti-me rapidamente. Lavei meu rosto, escovei os cabelos e dentes. Pus meus óculos, sem antes lavá-los tirando o embaçado de longas horas de vistoria pela 

janela...

Não quis o desjejum... somente um pedaço de queijo branco coberto com goiabada. O doce e o meio salgado, como sempre gostara...

Peguei minha câmera (esqueci de dizer que de minha janela também havia tirado muitas e muitas fotos da casa nesses tempos todos de observação), o molho de 

chaves que de costume sempre esquecia onde houvera deixado... dessa vez estavam sob a almofada do pequeno sofá da entre-sala! Calcei meus sapatos de couro 

marrom e lembrei-me que havia os calçados sem meias...não gosto muito de usar assim. Retirei-os e busquei as meias que usara ontem... ainda estavam limpas... 

calcei-as e em seguida botei os sapatos.

Abri a porta...

Por um breve momento estanquei junto a ela...

Pensei comigo mesmo e disse-me (em voz audível):

            - "Estou pronto para saber???"

-
-
--
---
----
------------e você, está pronto para saber? --------------



(Negra Noite-01/11/2012 -  00:20/00:45 horas)

quarta-feira

Poesia de Milena Medeiros- MEU POETA BEIJA FLOR

MEU POETA BEIJA FLOR

Tu estás me seguindo
como o beija flor
em busca do doce néctar da flor??!!

Ai meu poeta...

Sabe que assim você me cativa
e cativada sou uma presa fácil?

Tu saberás me alimentar?

Ouvirá meu cantar nos dias de sol e de chuva?
Trará o doce mel pela manhã, 
acordando-me com a beleza do amor? 

Acolherás-me sob tuas asas,

protegendo-me do frio da tarde chuvosa
e da noite fria?
Velarás pelo meu sono enquanto a manhã não vem?

(Milena Medeiros)
beija flor poeta

sexta-feira

Recomendo o vídeo de Rick- O MEU DESTINO É VOCÊ (Kim)

Poesia Erótica de Negra Noite- NOITE E DIA DE PRAZERES.



eu te provo, e aprovo!
NOITE E DIA DE PRAZERES

Aquela noite
em que somamos desejos
onde encontramos
nossos medos
e realizamos nossas fantasias
foi a noite mais gostosa
onde me destes teu falo
e eu boquiaberta
o engoli quase por inteiro.
As nossas fomes
pareciam seculares
tu agarrastes meus seios
abocanhando-os quase os dois
e eu tremia
querendo sempre mais...

Veio o dia
e nós, ali
ainda deitados  e cansados
metíamos as mãos
em nossos vãos gozados
chegando à volúpia
de nos entregarmos novamente
ao prazer de subir e descer
na cama desarrumada...

(Negra Noite-26/10/2012- 19:00horas)

Online no site Recanto das Letras- publicado sob Código do texto: T3953795
Classificação de conteúdo: moderado
link: poesia erótica no Recanto das Letras- NOITE E DIA DE PRAZERES

sábado

Texto de Milena Medeiros- DIGO SIM, TODO DIA!


Todo dia eu digo sim, à felicidade, 
à ir em frente apesar de,
em comprometer-me mais com coisas boas, 
a diminuir os acessos de raiva e menosprezo,
dedicar-me a tudo o que me faz bem e o que te faz bem, 
em ser atenciosa, 
a ser menos exigente, 
a aumentar as doses de carinho e amor, 
fazer da gratidão um espelho de alma, 
não sofrer em demasia, 
não sofrer por antecipação, 
saber colher-te todo dia em meus abraços,
não buscar coisas que não darão valor à minha vida, 
não ter interesse mesquinho, 
poder sempre dizer:
- Eu te amo à pessoa certa... 
e a pessoa certa: 
-É VOCÊ!

(Milena Medeiros-10/10/12)
eu quero assim!



quinta-feira

Poesia de Negra Noite-ANSEIOS & RECEIOS/Sadistic Love - inspiração na música de JOHN SOKOLOFF


Tenho um colega de site (Poemas, contos, etc) no site Recanto das Letras- MARQUÊS SADE ROCCO -(link para o perfil: rocco ) que vem me seguindo e eu a ele.
Trocamos mensagens com compartilhamento de poesias e/ou vídeos musicais e de interesse mútuo à cultura. E aos nossos desejos e anseios.
Hoje, ele mandou-me algo de Vivaldi e eu o retribuí com essa do John Sokoloff e, no mesmo instante, veio-me a inspiração, que logo escrevi on line no Yahoo Mail. Segue abaixo o poema

ANSEIOS & DESEJOS  
(Sadistic love)

É inerte a minha dor
Dela, sem compaixão,
expresso
em linhas quebradas...

Tu não as sentes
nem a vês
essas cicatrizes
que o sádico destino
interpôs em minha pele,
outrora tão macia e pudica...

As marcas e a música
são emblemas
de uma confissão:
Amo
e não sou amada!

Isso, sádico-amor,
é tua alegria
já que compartilhas
das mesmas armas
as quais 
me transfiguraram...

O vale,
sombrio
derramado
em caminhos sinuosos,
serpenteia
a primavera de minha vida.

E só
a minha dor
caminha comigo
em recordações
que esmiuçam
um tênue fio
de esperança
tal qual
um imenso arco iris
num céu de inverno...

A solidão de horas
é meu único veículo.
E a noite,
onde escondo meus medos,
é a cama
onde sonho
sonho de donzelas
e acabo sempre
despertada
como em um pesadelo!


(Negra noite- 08/10/12-13:52h-online no site Yahoo- para o vídeo: Valleys- John Sokoloff)

Link para o vídeo que serviu-me de inspiração:
Canal Oficial no Youtube: John Sokoloff- Oficial

*negra noite é alter ego de Milena Medeiros - nesse alter ego ela escreve duramente as coisas da vida. Um olhar cru, desconcertante, muitas vezes...

O título e o subtítulo foram sugeridos, respectivamente,  pelos amigos: Ricardo Marques e John Sokoloff, aos quais compartilhei  e pedi a sugestão e, eles atenciosamente, o forneceram e aos quais deixo expresso os meus maiores sentimentos amorosos. 
Obrigada aos dois!

quarta-feira

Poesia de Negra NOite- ANJO BOM, AMOR PERFEITO


ANJO BOM, AMOR PERFEITO

Tão me  é especial

a tua entrega

que não meço o momento

desse amor de entrega se fazer.

Anjo perdido

Anjo solto

Anjo vadio no meu peito

Vem,

Não se acanhe

toma-me em teus braços

conduza-me aos altos

prazeres

Eu preciso acostumar

com seus ternos carinhos

pois deles todos preciso

e não ser tão sozinha.

Vem,

tira-me dessa solidão

junte o teu e o meu coração

Faz-me crer que tudo é possível

dentre as possibilidades do amor.

Anjo bom, anjo lindo

Sem você eu não saberei mais viver

Dou-te minha rosa vermelha

Essa que guardo aqui

em meu peito.

Entrego-a sem receio

a ti

que me fazes tão bem...

Estava eu tão perdida em pensamentos

vazios...

sem calor...

na frieza de meu sentimento...

E

agora

canto às paredes

às flores

ao tempo

Como é bom te ter

como é fácil te amar

Como é possível não ter

te encontrado antes

bem antes...

Não ter perdido tanto tempo

sem te sentir

sem ter tuas mãos

a me acariciarem

sem ter você aqui

na minha solidão...

(Negra Noite-10/10/12-21:39h-online no site wordpress)

Inspirada na música: Amor Perfeito - Jota Quest-

amor de entrega
Publicado no Recanto das Letras
vem...



Poesia Dedicatória de Milena Medeiros - EU DIRIA ASSIM...

EU DIRIA ASSIM...


Não, eu não te notei antes
Antes tivesse notado...
Somente soube mais de ti
quando, na inocência tua
conferiste a mim,
em dedicatória amizade,
algumas linhas
e uma música...
A partir daquele momento
onde a dor e a alegria se misturavam
(sentia a perda de um amor...)
Comecei a te conhecer melhor...

E, hoje,
deslumbrada
ante a disponibilidade
de um encontro
é que te sei mais que pensava.

Agora, tu és
tão importante quanto
a tua rosa a mim ofertada.
Tu houvera me cativado
e eu agora busco te cativar.
Embora com medo
de sentir
esse novo amor 
e logo depois
vê-lo partir...

(Milena Medeiros-10/outubro/2012-16:06h)
G M



Poesia de Negra Noite- SADE, SOIS UM SER VIL!


SADE, SOIS UM SER VIL!

Sade
Sois este ser
vil
que corrompe as almas
incautas
afobadas
inexperientes.

Sade
Sois um cáustico
sofrer
pois déstes desejos
e depois os retira
deixando dores
que maculam a alma.

Vade
não "sadiquise"
esse campo
Já é árido o bastante
Porque tens que nele
jogar tuas sementes
de víboras?

Sade
o romântico que finges ser
tens máscara
de vil ser
Cantas melodias
formosas
até nos envolver
em tua insana hipnose

Agora
sai!
não maltrates este coração...
Não apeles
por ti compaixão
já que a retira
até sangrarmos
ao chão.

(Negra Noite-09/10/12-01:01h- online no site yahoo)

Escutando a música:
Sade- NO Ordinary Love
 NO ORDINARY LOVE- música - Youtube
Inspirada no colega do site Recanto das Letras : Marques Rocco Sade

Poesia de Negra Noite- VOU DEIXAR-ME


VOU DEIXAR-ME

É deveras
grande essa dor
que penetra-me pela soleira
dentro de minha vida...

Ainda que
não a deixo invadir-me
ela sempre é mais forte
ri-se de minha dor...

Senta-se ali
como dona do divâ
me analisa bem
e prega-me seus cravos dourados...
                                           -de solidão!

(Negra Noite-02/10/2012)