minhas frases

AO NAVEGAR NO BLOG e quiser retornar ao início, clique no menu: "início"



Alguns artigos publicados foram pré-agendados (datas de publicação programadas) usando o aplicativo disponível no próprio Blogger, então, posso não estar online no instante da postagem.


Agradeço a sua visita. Se inscreva para eu te conhecer... bjuss...Mii

VISITANTES APÓS MARÇO- 2011

ASSISTA ALGUNS VÍDEOS QUE ESCOLHI.

Loading...

quinta-feira

Ah doce veneno - Negra Noite / vídeo: El hombre que yo amo- Miriam Hernandez

E então o mundo se desfez em gotas de suave veneno...
Nós bebemos e bebemos...
Ficamos ali, deitados,
E morremos assim, sem mais nem menos...

Ah... doce veneno que amarga o tempo!

(Negra Noite-26/12/2013)

quinta-feira

Milena Medeiros em Versos em imagens - VERSOS QUE NÃO FIZ


Texto compartilhado por Ricardo Cavalcante sobre NÃO CONSEGUIR FALAR SOBRE VOCÊ.

“Eu nunca vou conseguir falar de você. Para ninguém, ninguém. Eu posso até dizer umas coisinhas aqui, outras ali, posso até dizer que você é lindo, me faz um bem danado, etc. Mas dizer sobre você, sobre quem você é pra mim… nunca. Porque eu tenho essa coisa estúpida de não conseguir falar quando fico nervosa. E aparecer uma enxurrada de lágrimas na minha visão. E parecer que existe uma bola de pelo na minha garganta. Fica tudo uma merda. E eu nunca vou conseguir falar de você por causa disso. Porque eu fico nervosa, choro, sinto saudade, paixão acumulada, desejo, instinto de proteção, carinho, ciúme e amor. Isso tudo só de pronunciar as sílabas do seu nome.” -Yasmin Diniz

(compartilhado por Ricardo Cavalcante no Google+)

Poesia de Milena Medeiros - SE EU NÃO VOLTAR

NÃO VÁ DIZER POR AÍ
QUE ME PERDEU
POIS
FOSTE EU MESMA
QUEM ME ACHEI...
ME ACHEI EM TI, EM TUDO DE NÓS
E VI QUE SOZINHA EU NÃO PODIA MAIS
E PARTI POR SABER QUE TU
MAIS FELIZ SEM MIM
ESTARIA
(Milena Medeiros -24/01/2013)



Ricardo Cavalcante compartilha novo texto-VEM E FICA- Gabito Nunes

“Quero você aqui, no meio das minhas coisas, meus livros, discos, filmes, minhas ideias, manias, suspiros, recortes. Respirando o mesmo ar… Entra, não pergunte se pode ficar. Vem e fica.” - Gabito Nunes 

(compartilhado por Ricardo Cavalcante no Google+)


AH... OS ROMÂNTICOS... (Resposta de Milena Medeiros ao poema de Marcos Mollica "ROMÃNTICO")

"Ah... os românticos...
esquecem de dizer
em gestos e palavras
à amada
o quanto a amam
e se vão
solitariamente
seu caminho
sempre querendo
o amor de alguém
que pensara ter encantado!


(Milena Medeiros- 24/01/2013 - especial para o amigo Marcos Mollica em resposta ao poema: "ROMÂNTICO")

Frase de Milena Medeiros - SOBRE RECORDAÇÕES

 Recanto das Letras

A gente pensa que tudo acabou
e ao vermos imagens, recordações de nós dois
vemos que ainda dói.

(Milena Medeiros-24/01/2013)

sábado

Tradução da música - DREAM ON - Nazareth - por Umcantoqgosto

Texto por Milena Medeiros - CARTA DE ADEUS


CARTA DE ADEUS

São poucas coisas a te falar. Talvez um nada. Talvez tudo.
Os pensamentos estão por aí. Vacilantes. Intranquilos.
Já se passaram muitas luas e o meu sol ainda se esconde entre densas nuvens. Nuvens essas que me deixam em solitária melancolia.
Te pedi para me seguir por aí. Sem destino. Sem tréguas. Mas tu não o fez até esse momento.
Divago entre travesseiros e lençóis e em vão descubro que até assim encontro-me na triste solidão.
Meu nome não lhe basta, meu perfume não te alcança mais.
Te sinto mais distante do que na primeira aparição do luar. Naquela noite haviam lobos que pernoitavam à minha procura. Os deixei ao relento e te busquei no casario de meus sentimentos.
Foi ali, guardado à chaves que estava meu melhor e mais doce carinho.
Ilusão essa minha. Carinho assim não basta. Precisa de ter asas. Precisa voar em grupo, se acasalar... E agora, em mãos vazias vejo voar meus desejos, meus carinhos. Sinto-me vazia também. Não sei o que posso fazer mais. Tudo o que eu sabia para te cativar fiz.
Agora, nem eu mais me acredito. E se eu não creio em mim, é que tudo o mais é vão, é passado.
Te digo, não mais te procurarei. Não mais deixarei que meu coração tenha algo a acorrentá-lo. Esse tal de amor faz isso... E agora que nem ele eu tenho, melhor ficar assim... um peito vazio, uma alma morta, mãos em adeus.

Milena Medeiros-18/01/2013-23:50H


sexta-feira

TRADUÇÃO- WOMAN IN CHAINS- Tear for Fears & Oleta Adams.



De um momento para o outro a nossa história faz um giro de 360° e tudo retorna ao começo. 
Talvez uma forma de nos mostrar que erramos de caminho... (Milena Medeiros-18/01/13)

quarta-feira

Recomendo o blog do CRIADOR JOÃO



Visitei o blog e gostei, recomendo aos amigos e leitores.
Criador João é um membro do Youtube, onde tem um canal com lindos e emocionantes vídeos. Hoje ele apresentou-me seu blog, recém montado, ao qual dirigi algumas palavras iniciais e muito amavelmente ele respondeu-me, conforme abaixo.

Alma de Poeta7 de dezembro de 2012 16:52
Olha só.. tá muito gostoso esse blog.

Belo início, amigo, belo início...

Que seja pleno em emoções boas, embora hajam recordações que nos machucam...até estas são deveras importante. São elas que nos promovem a se fechar para o mundo ou se abrir.
Estarei te seguindo aqui...

Parabéns pela beleza que existe em ti. (mii)

  1. agradeço sua consideração por tudo e até onde vens caminhando ao meu lado,sei que só temos isso no hoje,mas dos pequenos nos tornamos grandes...um grande abraço à vc pessoa tão admirada por mim,João(JJ)

Poesia de Negra Noite - MEDO DESSE TEU AMOR // Vídeo recomendado: Volver a amar - Cristian Castro

MEDO DESSE TEU AMOR

Não quero um amor violento
forte
mágico.
Tenho medo deste...
Quero um amor pequeno
fraco
que se vá ao primeiro raiar de sol
Deste não tenho medo...

O amor forte
que fica
me enciuma
dói em minha alma
pois não aprendi
a aceitá-lo
na forma que é.

Sei que naufragarei
em medos bobos
ciúmes doidos
e não alcançarei o porto
destino
coração

Sou marinheiro
de meia viagem
Nem tenente de fragata
Nem armador
não não sei lidar com esse amor
que vem assim como um relâmpago
e estronda ao meu lado
espraiando-me em risos

Não me dê um amor assim
afugenta-me de imediato
sou mais para barco à vela
do que para um iate
de possante motor.

Não saberei guiar-me em ti
nem sei como velejar-te
nada entendo desses instrumentos
que tens em mãos
e os estende em magia sedução.

Já te disse:
Tenho medo...
Dai-me água
preciso me acalmar!

(Negra Noite-02/01/2013-22:43horas)
Publicada no Recanto das Letras sob número 4064714 (vide comentários ao texto nesse site)

Recomendo: Damon & Elena|| What about now



Conheça mais: http://www.youtube.com/artist/daughtry